segunda-feira, 9 de março de 2009

Jornalismo diário



Há uma semana chegou a novidade. Era uma segunda-feira. 2 de março. O telefone tocou e eu desci sem nem ao menos degustar a minha última segunda-feira de folga. De semanal, o jornal passaria a ser diário já a partir daquela terça-feira (3).

Passamos de 24 para oito páginas num piscar de olhos. Parecia tão difícil a experiência e não sei porque tanta resistência dos diretores de jornais de Videira em aderir ao sistema de vez. Achei boa a dinâmica. Cansativa, mas boa. Se pautar, apurar as informações e redigi-las sem delongas é a meta diária agora. O bom de tudo isso é que se chega em casa - cansado, eu sei - sem ter que pensar nas pautas de amanhã, até que chegue o amanhã.

A segunda-feira passou e a manhã do dia seguinte nunca foi tão esperada assim, como na semana passada. Desci da natação ainda agitada, cansada para o início da semana, mas ansiosa para ver o resultado, impresso do que foi feito um dia antes. É nesse momento em que pensei: "Quem quer ler o jornal de ontem com notícia de anteontem?"

Enfim, essa novidade me trouxe várias perspectivas profissionais e de desenvolvimento. Torço, enfim, para que dê tudo certo. Vamos aguardar!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Troque uma ideia comigo sobre essa profissão perigo...