quarta-feira, 18 de março de 2009

Liberdade, Igualdade e Fraternidade

O lema da bandeira da França nunca recebeu melhor adaptação do que o modo de vida de quem participa de motos clubes

by Elaine Barcellos de Araújo

“Motociclismo é liberdade, paz e amizade. É respeitar ao próximo e seguir seus ideais. No nosso grupo é assim, a gente mantém a união respeitando o individualismo. Aqui tem de tudo, gente de classe baixa e alta, não importa, porque somos todos iguais no Escorpião da Noite, disse o presidente do moto grupo da cidade paranaense de União da Vitória.
Gilberto Batista Correa, conhecido como Beto Louco desde pequeno em sua cidade, é o presidente do grupo. Ele explica que para ingressar na irmandade, não é um processo simples. Tem que provar que é merecedor de ser um Escorpião da Noite. “Para ser um dos nossos não pode ser um arruaceiro, tem que respeitar as regras de trânsito, ter um comportamento legal”, diz Beto Louco, que aceita que o interessado acompanhe o grupo durante o período de “análise” do pedido. Só depois que todos os integrantes dão o aval positivo, é que o motociclista aspirante é aceito oficialmente no grupo.
Cada grupo tem suas regras, mas todos são unânimes em manter o respeito, o comprometimento, a liberdade e a amizade como critérios de avaliação de quem deseja ingressar num moto grupo. Claro que o prazer em usufruir do veículo e viajar estrada afora são pontos principais e para todo motociclista isso já está implícito. Para os Aves Negras, moto clube que existe há 29 anos em Videira e é o precursor na cidade, vale o mesmo. Tanto que carregam em sua bandeira o lema: Liberdade, Humildade e Amizade.
MOTOS GRUPOS

Luís e Alberto
Os Karas – Porto União da Vitória (PR-SC)


Nós temos em comum o lazer, a liberdade e a responsabilidade sobre a moto. Todos que integram Os Karas possuem essa afinidade, além do sentimento de amizade. É com base nesses pilares que a gente sai para confraternizar pelas estradas do país. Também é com a mesma dedicação que realizamos ações sociais nas nossas cidades irmãs, Porto União, em Santa Catarina, e União da Vitória, no Paraná.



José e Maria
Rota 66 – São José (SC)


Nós respeitamos a identidade, individualidade e a liberdade de cada integrante do grupo, que é composto por 16 pessoas. É com base no respeito que permeamos nossas atividades, que é a confraternização que acontece com os encontros de motociclistas pelo país. Nós aproveitamos esses eventos para fortalecer os laços de amizade, fomentar as relações sociais, além das que praticamos no cotidiano em nossa cidade sede, como auxiliar na manutenção de uma creche.



Pedro e Fábio
Road Brothers – Curitiba (PR)


União, amizade, comprometimento, responsabilidade, liberdade, moto e estrada. Isso é o que move a gente que integra os Road Brothers. O moto grupo existe há dez anos e a cada ano que passa a gente conhece mais pessoas, fomenta as relações pessoais com novos costumes e culturas, além de ser apresentado a uma nova cidade a cada viagem. Conhecer Videira para nós é a realização de um sonho, pois já tínhamos ouvido falar da cidade, cujo povo nos recepcionou calorosamente, nos proporcionando um encontro harmônico e diversificado.



Moto Clube Ave Negra é precursor em Videira

FOTO DIVULGAÇÃO/CORREIO DE VIDEIRA

Moto grupo Ave Negra: 29 anos de liberdade, humildade e amizade

Quando as motos começaram a surgir em Videira, nos anos 80, o sangue dos jovens começou a ferver. Com as máquinas, vieram também as competições tanto regionais quanto estaduais. Os motociclistas da época queriam participar, mas tinham que estar ligados a uma instituição e o Ave Negra surgiu naturalmente.

Foi assim que foi oficializada a participação dos competidores nas provas de velocidade e cross em Videira. “Com o tempo nós fomos conquistando algumas coisas. Uma delas foi uma pista para competição, no Distrito de Rio das Pedras, que era uma das melhores de moto cross no Estado”, lembra o presidente do moto clube, Pedro Machienavie.
Já de início o grupo era formado por um grande número de pessoas: 24. Hoje tem 13 integrantes, sendo três ainda da formação original. “Alguns já morreram, outros se mudaram ou saíram, enquanto nós, que ficamos, somos chamados de jurássicos pelos mais novos”, comenta Pedro. Depois do surgimento do Ave Negra, outros grupos foram surgindo na cidade, alguns até com integrantes da primeira formação.
Para ingressar na instituição que tem quase 30 anos de formação, os critérios de base é gostar de moto, ter amizade com os colegas e ser uma pessoa bem vista na sociedade. “Nós não fazemos distinção de classe social ou de cilindradas da motocicleta. Respeitando esses critérios, qualquer pessoa com qualquer moto pode participar”, disse o presidente.
Pedro lembra que hoje a função do moto clube é realizar viagens, campanhas educativas e o encontro de motociclistas, cuja cada edição começa a ser planejada com seis meses de antecedência.
* * *
Fotos e Textos
Elaine Barcellos de Araújo

Veículo
Jornal Correio de Videira

Data de Publicação
7 de Março de 2009

Cidade
Videira - Santa Catarina

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Troque uma ideia comigo sobre essa profissão perigo...