segunda-feira, 27 de julho de 2009

Ela trabalha em casa, a todo vapor

HORÁRIO DE EXPEDIENTE, produção, reuniões, entre outros compromissos, são cumpridos diariamente pela bacharel em Ciências da Computação, que optou pelo trabalho remoto

FOTO DIVULGAÇÃO/CORREIO DE VIDEIRA
JANISSE TEM UM ESCRITÓRIO DOMÉSTICO E ADORA TRABALHAR ASSIM

por ELAINE BARCELLOS DE ARAÚJO

O escritório dela é em casa. A bacharel em Ciências da Computação, especializada em Sistema de Informações, atua na área de tecnologia da informação. Janisse Barbosa (30) é funcionária de uma multinacional de informática e serviços há dois anos, mas nunca chegou a compartilhar o mesmo ambiente físico de trabalho com outros colegas. O contato dela é virtual.

Janisse conta que, após passar alguns meses fora do Brasil, precisou arrumar um emprego assim que chegasse no país. Foi então que decidiu distribuir seu currículo, utilizando a internet. “Me cadastrei em vários sites de empregos para tecnologia da informação (TI), em diversas empresas do Brasil, bem como consultorias em recursos humanos. Fiz algumas entrevistas por telefone, mas nada tinha conseguido até chegar ao Brasil. Após três meses de volta, uma consultoria me contatou falando que tinha uma vaga em uma empresa de São Paulo, de acordo com o meu perfil, mas o trabalho seria home office (trabalho em casa)”.

Ela tinha noções desse método de trabalho, mesmo nunca tendo atuado dessa forma. Mesmo assim, Janisse não se intimidou e aceitou a proposta, dando continuidade ao processo de seleção, que após uma semana obteve resultado positivo. “Fiquei muito feliz e na semana seguinte fui até São Paulo, ao escritório físico da empresa para conhecer o gerente, bem como pegar meu computador. Os colegas de trabalho não tive a oportunidade de conhecer. Todos já trabalhavam home office em diversos estados do Brasil, como a grande São Paulo, Rio Grande do Sul, Bahia e Paraná, e alguns fora do país, como Estados Unidos, Europa e Ásia”, complementa.

Para ela, há muitas vantagens e desvantagens em se trabalhar em casa. Em um escritório físico diz que a comunicação é mais fácil e rápida. “Temos a parada para tomar café com os colegas e bater um papo sobre assuntos gerais, já no trabalho home office, nosso contato é totalmente virtual. Não temos festinhas de final de ano para reunir a turma, happy hour ou amigo secreto (só se for virtual). Às vezes sinto falta desse contato cara a cara, mas tudo é uma questão de adaptação”, revela.

Mas quando se refere a concentração, Janisse diz que o rendimento no trabalho é melhor para quem trabalha home Office. Segundo ela, o fato de não ter várias pessoas falando ao mesmo tempo e telefones tocando deixa a atenção focalizada no trabalho que está sendo realizado. A bacharel ainda ressalta que, ao contrário do que muitos pensam, trabalhar em casa é exige muito mais da pessoa do que num escritório físico. “Muitas vezes deixamos um sistema ‘rodando’ e, às vezes, durante a noite por exemplo, damos uma ‘espiadianha’”.

Em compensação, outras vantagens de se trabalhar em casa é que não é necessário perder horas no trânsito. Pode-se também trabalhar com roupas mais confortáveis, além de não ter que se molhar em dia de chuva ou nem passar frio para chegar ao trabalho.

Segundo estimativa da Sociedade Brasileira de Teletrabalho, o número de profissionais trabalhando de casa cresce 10% ao ano. O trabalho remoto é uma alternativa cada vez mais procurada por quem não tem a obrigatoriedade de estar no escritório, por mães de recém-nascidos e autônomos interessados em baixar seu custo fixo. A nova organização da economia está indo cada vez mais nesta direção, e mais frequente encontrar exemplos de pessoas bem-sucedidas nas suas atividades profissionais executadas parcial ou totalmente a partir de um escritório doméstico.


Trabalho intenso no escritório doméstico


O horário de trabalho da bacharel em Ciências da Computação é um pouco diferenciado das empresas “normais”. Por prestar serviços também para os Estados Unidos, Janisse Barbosa precisa se adequar aos horários de lá, por exemplo. “Muitos pensam que por eu trabalhar em casa não tenho horário fixo, mas tenho sim”, diz ela que começa a trabalhar às 10 horas e ainda precisa realizar plantão nos finais de semana.

“Antes das 10 horas aproveito o tempo para tomar café da manhã com minha mãe e conversar. Depois, me logo no sistema da empresa e encontro os colegas virtualmente por um chat. Nesse horário ainda encontramos os colegas que trabalham na Índia, momento em que preciso verificar com eles como foram processados os dados e se tiveram algum problema”.

Depois desse contato, Janisse começa a monitorar os sistemas de informática e a desenvolver as atividades que devem ocorrer ao longo do seu dia. “Não temos horário fixo para almoçar, nem jantar. Tudo depende do funcionamento das aplicações que estamos trabalhando”.

Para trocar informações com os colegas do time, a bacharel em Ciências da Computação utiliza e-mail, telefone, chats e ferramentas de compartilhamento de tela de computador. Segundo ela, tudo isso funciona muito bem, tendo uma internet de qualidade.

DICAS

Família e negócios

Quem opta pelo home office tem de conscientizar a família de que não está disponível durante o expediente.

Espaço
Delimite um lugar dentro de casa e avise a todos que ali é seu escritório e que está a trabalhando no local.

E-mails
Marque as mensagens com cores diferentes e priorize a leitura de acordo com a seleção.

Tecnologia
É importante para quem trabalha em casa ter acesso a internet banda larga e serviço de telefonia eficiente.

Rotina
Organize uma rotina diária, com horário para começar e encerrar o expediente, respeitando os intervalos.
Ambiente
Crie um local agradável e confortável para trabalhar em casa, de preferência bem iluminado, arejado e com bom espaço.


* * *
Jornal: Correio de Videira
Publicação: 24 de julho - Edição 930
Cidade: Videira - SC

2 comentários:

Troque uma ideia comigo sobre essa profissão perigo...