sábado, 8 de agosto de 2009

O "X" da questão


Há uma semana prestei provas para um concurso público federal. A vaga era para jornalista [1], claro, e a função referente a assessoria de comunicação. Respondi as 40 questões de forma despretensiosa, pois sem estudar não tem como garantir um lugar ao sol, que é o que os meus 26 concorrentes estavam buscando para suas vidas profissionais.

Hoje em dia todos querem a garantia de um salário razoável, benefícios como auxílio saúde, transporte e alimentação. Sem falar na data certa para receber. Com os jornalistas não é diferente. O único problema é que a remuneração da categoria é diferente de estado pra estado, além de ser menor no interior - como se os profissionais que atuam fora da capital e da região metropolitana trabalhassem menos.

Essa desvalorização do profissional, do trabalho, da categoria está clara em nível nacional. O salário inicial para jornalista do Instituto Federal de Educação, Ciência e Educação [IFET] em Santa Catarina é de R$ 1,7 mil. O menor benefício referente aos cargos de nível superior. Bom mesmo é para quem será professor do IFET, o mínimo inicial é de R$ 3,5 mil, podendo chegar a salários superiores a R$ 6 mil.

Mesmo assim, nós buscamos vagas como essas para nos estabelecer na profissão, que considero como uma das mais instáveis entre os profissionais liberais. Até porque, para quem ganha o piso salarial, que fica em média em torno de R$ 1,2 mil na Região Sul, R$ 500 reais a mais, horário fixo e demais benefícios faz com que a gente reforce que valeu a pena estudar e se formar jornalista. Mesmo agora, quando um bando de políticos ignorantes tenha jogado no lixo todo o nosso esforço e superação.

Agora é esperar o resultado do certame, que está previsto para 17 de setembro próximo. E que vença a pessoa que marcou mais X nas alternativas corretas das questões.

2 comentários:

  1. Estou aqui por uma razão,pedir para você deixar no meu blog uma mensagem contra a VIOLÊNCIA no TRÂNSITO, no post " JUSTIÇA".

    Sei que o irresponsável e os seus advogados procuram no Google notícias que tenham o nome do autor do crime, essa seria uma maneira de comunicarmos com ele e mostrarmos o nosso repúdio.A violência no trânsito mata mais do que as guerras.
    Estou lutando duas vezes,uma contra o poder econômico do criminoso e outra contra o desrespeito as nossas leis.
    Conto com a tua colaboração .
    Gemária Sampaio

    ResponderExcluir
  2. Ah mas esta calmaria aprisionada
    Sobe ao celeste um frio arrepio
    Entre o mar e as negras pedras
    Vive um coração de onde escorre um rio
    Onde moram sereias douradas
    Onde os peixes falam de amor
    Onde as pedras são felizes
    Onde as águas lavam o rancor


    Boa fim de semana


    Doce beijo

    ResponderExcluir

Troque uma ideia comigo sobre essa profissão perigo...