terça-feira, 23 de março de 2010

PAIS & FILHOS

Filhos gêmeos,

preparação em dobro




A designer Ana Paula e o comerciante Ilson

se preparam para a vinda dos primeiros filhos,

os gêmeos Sophia e Vicenzo,

enfrentando todas as dúvidas de pais de primeira viagem

ELAINE BARCELLOS
Jornal CORREIO DE VIDEIRA


Ana Paula Andrade Lima Matzenbacher Rigo e Ilson Rigo vivem o sonho de ter filhos e em três meses ele será realizado. A designer está grávida de seis meses, de gêmeos: o Vicenzo e a Sophia. Depois de quase dez anos de casamento, os dois sentiram-se preparados para a maternidade e a paternidade e hoje eles curtem a gravidez dos filhos. Mas, como toda mãe de primeira viagem, Ana tem dúvidas, mas também tem muita alegria.

O casal descobriu a gravidez em setembro do ano passado. Dois meses depois, veio a notícia de que eram dois, ao invés de apenas um filho. No quarto mês de gravidez, eles souberam o sexo dos bebês bivitelinos, que já ganharam rapidamente ganharam nomes, além de mimos de pai e mãe. “A espera de um filho já é uma benção, dois então é ter a graça em dobro”, comenta Ana feliz pela maternidade tão esperada.

Mas o bicho papão das mães com a primeira gestação são as dúvidas. A maior preocupação de Ana, que já tem todos os cuidados com os bebês e sua saúde, é se será uma boa mãe. “Eu estava me preparando para atender a um, agora que são dois, a preocupação é em dobro. A única certeza que tenho é a descoberta do amor verdade, disso eu não tenho dúvidas”. Como referência, ela tem sua mãe. É em Deucélia e no relacionamento entre as duas, que se baseia para a sua próxima experiência de vida. “Se eu for com meus filhos 10% de como minha mãe foi comigo, eu já me dou por satisfeita”.

Psicólogos comentam que a preocupação e a ansiedade materna das mães com a primeira gestação é normal. Porém, eles alertam as gestantes para buscar evitar fomentar essas sensações, com práticas relaxantes, cursos de formação e a até, se necessário, acompanhamento psicológico. Os terapeutas também sugerem o envolvimento dos pais durante a gestação da mulher, o apoio e auxílio emocional para minimizar as dúvidas.

Nesse ponto, Ana Paula está bem amparada. Ela comenta que o marido, o comerciante Ilson, está sempre ao seu lado, ajudando e vivenciando esse momento, que deve terminar em maio, dando início a uma nova fase.


Dúvidas cercam as mães de primeira viagem



É normal as mães terem dúvidas durante a gravidez. Segundo a psicóloga Katiani Morais, elas ainda podem ser mais ou menos por causa da formação familiar. “A estrutura familiar contribui muito quando o casal tem o primeiro filho. Se ela é bem estruturada, se o companheiro manifesta apoio, reduz muito as expectativas em torno geradas ao longo da primeira gestação”, comenta.

De acordo com a analista, o desconhecido gera muitas preocupações, ansiedade, temores. A primeira gravidez traz, principalmente para a mulher com que o nenê há um vínculo maior, uma responsabilidade maior. Além de mudar as rotinas, tanto profissional, quanto pessoal. “Por mais que a mãe tenha nove meses para se preparar, as dúvidas ainda surgem. A primeira ligação do nenê é com a mãe e quando nasce, essa relação se estende para uma ligação de dependência. A criança passa ser uma extensão da mulher”, explica a psicóloga.

Ela ressalta que é importante que a mãe relaxe durante a gestação, procure não ficar ansiosa, não se preocupar. Katiani diz que a mulher tem que curtir a gravidez em todas as suas vezes. Vivenciar esses momentos. A psicóloga ainda dá dicas: “busque informação para dissipar as dúvidas e os fantasmas. Se forem em relação a saúde do bebê e dela mesma, informo-se junte ao médico. E quando o filho nascer, preste atenção nele e não somente nas coisas em volta dele”, finaliza.


FOTOS STUDIO C

domingo, 21 de março de 2010

Jornalista no Serviço Público gaúcho só com diploma

Foto Arfei Mazzei

Jornalistas gaúchos comemoraram na quarta-feira, dia 17, a aprovação unânime pela Assembléia Legislativa do RS do Projeto de Lei 236/2009 que torna obrigatório o diploma de Jornalismo para o exercício da profissão no serviço público estadual. Tal resultado surpreendeu o próprio autor do projeto, o deputado Sandro Boka (PMDB). “Confesso que fiquei surpreso com a unanimidade, mas esperava uma certa aprovação porque quando o STF derrubou o diploma, muitos deputados repudiaram a decisão”, explica. A FENAJ prossegue com a orientação de que se busque, nos estados, contato com os líderes de bancadas para acelerar a composição da Comissão Especial da Câmara dos Deputados que analisará a Proposta de Emenda Constitucional 386/09.Agora, o PL deverá ir para sanção da governadora Yeda Crusius (PSBD). “O Legislativo do Rio Grande do Sul deu um exemplo que deve ser seguido por todo o País. Foi uma resposta ao STF.


Agora só precisamos fiscalizar para que essa lei seja cumprida”, diz o presidente do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Rio Grande do Sul, José Maria Rodrigues Nunes, que pretende solicitar uma audiência com a governadora e pedir a aprovação do projeto.
Foto: Arfio Mazzei