segunda-feira, 21 de junho de 2010

O que é do amanhã, amanhã pertence...


Eu [desconfiada], entrevistando o então secretário da segurança Ronaldo Benedet

Hoje começou minha semana de despedida do jornalismo diário em Videira. O dia iniciou como imaginei que seria. Bom! Pela manhã segui minha intuição e fiquei na cama até as 9 horas. Horário em que deveria estar alinhada para a batalha do cotidiano de uma repórter. Daqui uma semana não sei o que será da minha segunda feira. Mas se for como hoje, está bom demais.

Trabalhei em casa o dia todo. Havia uma matéria apurada, de gaveta, que redigi lentamente no final da manhã. A outra já sabia o que seria. Um balanço dos acidentes do final de semana, que teve a morte de mais um jovem motociclista. Talvez, amanhã, o dia seja duro. Frio, úmido e triste na busca por notícias detalhadas sobre a vida desse jovem. Mas não vou pensar nisso hoje. O que é do amanhã, amanhã pertence. Pronto!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Troque uma ideia comigo sobre essa profissão perigo...